15.6.07

Voltando atrás no tempo...


Dia 8 de Fevereiro de 2005 – “Proença abandona a arbitragem” .
Era este o título que esperava ver escrito numa página qualquer de algum jornal naquele dia. Este desejo tão invulgar tem um fundamento. No dia 6 do mesmo mês realizou-se mais um derby minhoto onde o clube da capital do Minho perdeu fora de portas por uma bola a zero. O árbitro deste encontro foi o Sr Pedro Proença. Já em tempo de descontos, dois jogadores (Paulo Sérgio do Braga e Cléber do Guimarães) envolvem-se numa disputa de bola e acaba por cair dentro da área o avançado arsenalista, nada foi assinalado... Momentos depois ouve-se o apito final e já com a cabeça fria vem-me á cabeça a pergunta “será que era mesmo pénalti?”, apercebo-me entretanto de algum alarido em torno do referido árbitro, “nada de anormal” pensava eu... Na manhã seguinte e ainda na ressaca jogo, enquanto folheio um jornal desportivo, deparo com o seguinte titulo “Proença abandona se for pénalti”; no resto da notícia Amaral Correia, assessor da SAD do Braga, fazia saber que no fim do jogo ainda dentro do relvado, Pedro Proença tinha dito a António Salvador, em frente dos companheiros de equipa e dos delegados da Liga de Clubes, que abandonaria a arbitragem caso ele tivesse errado na decisão tomada naquele lance e realmente fosse pénalti. Era divulgado também que alguns dos jogadores do Braga tinham sido alvo de insultos pelo arbitro no decorrer da partida, caso que chegou a ir para tribunal, e que levou o Sporting de Braga a vetar este juiz para os seus jogos, tendo este arbitro sido nomeado para arbitrar um jogo do Braga ainda com o processo a decorrer em tribunal e jogando o Braga sob protesto! Referia ainda as palavras do jogador do Guimarães envolvido no lance (Cléber) que admitia ter havido uma grande penalidade por assinalar mas recusava-se a dizer em que altura do jogo ocorreu! Depois de ler isto tive a imediata reacção de procurar nos meios de comunicação social disponíveis se realmente teria sido pénalti e Proença iria pendurar o apito. Nas imagens televisivas era clara a obstrução de Cléber a Paulo Sérgio, embora os comentadores, tratando-se de um clube que não interessa fazer “publicidade” tenham apenas tocado ao de leve no assunto... Foi já com certeza de que tinha havido um erro que me levantei dia 8 na esperança que o Sr Pedro Proença fosse um homem de palavra e fizesse cumprir aquilo que tinha dito dois dias antes... Mas foi com tristeza que constatei que este senhor não passava de um mentiroso e não honrou a palavra como devia... Hoje foi-lhe atribuído um prémio de distinção na arbitragem, e pergunto eu: Como pode receber um prémio alguém que já não deveria arbitrar???

2 comentários:

Sócio nº 6960 disse...

E eu estava la...

Cidchen disse...

Arghhhh, eu não posso ver/ler o nome "Proença" que me lembro logo das coisas más que nos fez!

PS: Respondi-te ao desafio ;)

Beijos