18.3.08

"O Pedro e o sonho" - A concretização


Cumpri o prometido. Levei o “Pedro” ao estádio, que orgulhosamente vestiu o cachecol do Braga. É difícil encontrar palavras que descrevam todos os momentos que quer eu, quer ele vivemos. Saltou, gritou, apoiou o Braga como nunca antes tinha feito, sentia-se a criança mais feliz do mundo. Apesar de não saber o nome dos jogadores, sentia-se um felizardo por poder vê-los ali tão de perto e ver que mesmo eles parecendo algo diferentes de todos os outros humanos, são no fundo pessoas como qualquer um de nós. Ele imaginava-os maiores, como se fossem Deuses, como se não reparassem que estavam ali milhares de pessoas a torcer por eles por serem tão importantes, mas não, ele sentiu que afinal são pessoas como ele, quis aprender os cânticos e tudo o resto, sentiu-se bem por estar ali no meio de toda aquela festa, sentiu-se em casa, sentiu-se Braguista!
Há quem diga que não há felicidade maior que ver um sorriso de uma criança, mas eu digo que há, é simplesmente inexplicável a sensação de realizar o sonho de um miúdo e sentir a felicidade que dos olhos lhe saía… Já em minha casa e enquanto jantava-mos, ele contava eufórico aos pais e à irmã como tinha sido o dia mais feliz da vida dele. Uma lágrima marota quis fugir, mas prendi-a no canto do olho, deixei-me embalar pelo momento e sorri ao mesmo tempo que me senti realizado, senti que nasceu mais um Braguista e a confirmação veio logo a seguir quando a irmã, mais nova do que ele, lhe atirou “Eu sabia que tu ias virar a casaca…”, e ele com o sorriso que não conseguiu disfarçar o dia todo respondeu que “Desta vez é diferente, até tenho um cachecol e tudo! Agora vou ser sempre do Braga”. Já o sol dormia à muito quando me despedi dele, apertou-me a mão com força, olhou-me nos olhos, e eu vi nos dele um brilho ofuscante, e um sorriso maravilhoso e gratificante, não resisti, abracei-o e disse-lhe um simples mas sentido obrigado. Ele ficou confuso pois obrigado era o que ia dizer, e eu é que agradeci, agradeci por me ele me ter deixado feliz e agradeci por ele sentir que o meu clube também é dele, agradeci pela felicidade que a sua criou em mim. Ele foi embora, ainda de cachecol ao pescoço, e eu senti-me feliz por realizar o sonho de um menino… E assim nasceu mais um Braguista, que no que depender de mim, será para sempre…

1 comentário:

bruno louro disse...

parabens por concretizares o sonho do pedro,tens o ceu garantido lol lol lol es um anjo lol abraco